imagem de capa da página

PESQUISAR NESTE BLOG

sábado, 30 de junho de 2018

NANDO DA COSTA LIMA - CRÔNICA

LAUDICÉIA
Nando da Costa LIma
Não chegava a ser um matriarcado, mas elas foram fundamentais na nossa evolução social, política e espiritual. Eram elas que assumiam nas horas mais graves, sempre pendendo pro lado da razão, da paz. Evitaram várias desavenças que manchariam ainda mais a nossa história. É claro que temos nossas manchas! Na política de “curral” dos coroneis, tudo era motivo pra lançar mão das armas, a repetição papo amarelo fazia parte do cenário. E foi nesse clima que elas evitaram um desfecho trágico para uma briga que se arrastaria por décadas, ou quem sabe séculos.
Aquela briga estava sendo esperada há muito tempo...,foi em 1919, quando os grupos políticos denominados Peduros e Meletes decidiriam quem ficaria com o poder atra­vés das armas, um tempo distante onde a palavra era mantida à risca! Os Meletes tinham assumido o poder sob pressão e que­riam mantê-lo a qualqer custo. Dino Correia já estava em Conquista quando o melete Almirante sacou a pistola e deu alguns tiros pra cima, dizendo que a situação seria resolvida a bala, ele tinha cons­ciência que estava dando início a uma luta que decidiria o destino da política e principalmente do seu pai, o juiz Araújo, um dos líde­res Meletes. Almirante tinha se casado com Iazinha há poucos dias: Iazinha era pedura...
Coronel Gugé tinha se afastado do cargo de intendente em 1916, seu genro foi nomeado em seu lugar, depois disso a oposi­ção começou criticar a política do sucessor através do jornal " O CONQUSTENSE". Os Peduros levaram a melhor nos debates pela imprensa graças ao poeta Maneca Grosso que atacava os meletes pelo jornal "A PALAVRA". Dino Correia só entrou na briga depois que espancaram seu ex-professor por causa de um artigo dirigido ao Juiz Araújo. Dino ficou muito sentido com a surra que deram em Maneca Grosso e resolveu dar o troco. Maneca era dia­bético e faleceu devido à violência sofrida.
Os Peduros estavam entrincheirados em pontos estatégicos da cidade, os Meletes estavam acuados, um homem morreu no iní­cio da luta e tudo indicava que iria acontecer uma carnificina. Os chefes meletes Maneca Moreira e o juiz Araújo, esperavam o pior, eram experientes e conheciam a capacidade do inimigo, os homens de Dino eram em maior número e estavam mais bem armados, muitos jagunços dos Meletes que se diziam valentes fu­giram assim que correu o boato que o "coroné" Dino ia sangrar todo Melete capturado, alguns deixaram até as armas antes de correr. A morte estava rondando, era só os Peduros resolverem fechar o cer­co, a cauã tinha lançado seu canto agourento mais uma vez sobre o céu de Conquista! Mas felizmente desta vez havia uma mulher, que por coincidência era parteira, uma pessoa reponsável pela chegada da vida, tenha evitado tantas mortes. Dona Laudicéia Gusmão não se intimidou com o tiroteio e atravessou a Rua Grande seguida por Henriqueta Prates (uma das introdutoras do kardecismo em Conquista), Joana Angélica Santos e Eufrosina Freitas, como se fossem bandeiras brancas. Ela queria por fim àquela briga entre parentes que acabaria em tragédia caso não houvesse interferência, sua marcha foi vitoriosa! As mulheres da cidade, incentivadas por sua coragem, acompanha­ram a parteira pelas ruas em sinal de protesto pelos acontecimentos. Foi Dona Laudicéia que conseguiu um acordo enre os dois lí­deres, o coronel Dino já tinha saído vitorioso, abriu mão da violên­cia, o que não era comum na época! E assim a atitude de coragem de uma mulher evitou uma grande tragédia que novamente man­charia nossa história de sangue.
Os Peduros assumiram o poder na figura de Dino Correia. O juiz Araújo e vários outros oposicionistas escaparam da morte e da humilhação graças à interferência de Dona Laudicéia, A Parteira da Paz!
Como eu disse no início da história: não chegava a ser um matriarcado. Mas só não era porque elas, sabiamente, deixavam eles pensarem que mandavam. Ou seja: o burro era do “coroné”, mas quem comandava a rédea era a patroa...

quinta-feira, 28 de junho de 2018

RICARDO DE BENEDICTIS - CRÔNICA

SUPREMO DEVE SER JULGADO EM NOVA CONSTITUINTE
POR QUE SENADO NÃO PAUTA IMPEACHMENTS QUE DORMEM NA GAVETA DO PRESIDENTE EUNÍCIO?

Ricardo De Benedictis
Vários senadores têm assomado à Tribuna para solicitar de Ennício que ponha em pauta pelo menos um, dos nove requerimentos de instauração de processo contra Gilmar Mendes. Duas ou três vezes Eunício exime-se da resposta. Semana passada, instado por uma ‘questão de ordem’ do senador Lazier Martins (PP/RS), disse que havia encaminhado o processo ao setor jurídico da Casa. Contra Gilmar, são 09. E nenhum deles foi a plenário, até agora. Dentre os beneficiários da lambança da 2ª Turma do STF, foi solto o ex-Tesoureiro do PP – João Cláudio Genu, que já está nas ruas!!!
A COPA COMO ‘ESCAPE’ DOS BANDIDOS E DOS SEUS DEFENSORES!
Uma semana antes do início da Copa do Mundo Rússia 2018, circularan notícias nas Rede Sociais (que os interessados apressaram-se em desmentir) de que o Supremo iria conceder liberdade aos maiores ladrões da História Pátria, Condenados a várias penas, de até 30 anos de Cadeia ( e que ou Juízes da segunda turma, Lewandowiski, Toffoli e Gilmar Mendes colocaram na rua, às vésperas do jogo do Brasil X Sérvia).
Difícil nosso país ser encarado como um país sério, com um Supremo composto para o fim de manter na Cadeia, os pobres, pretos e pardos, sem dinheiro, para bancar os escritórios de advocacia onde atuam cônjuges, parentes e amigos dos ministros, que fazem o que querem com a dignidade do povo. E os que não fazem, são coniventes!
Primeiro, absolveram Gleisi e seu marido. Agora, José Dirceu, João Genu e muitos outros que saberemos. Até o ladrão da Merenda Escolar, deputado Patez, teve o processo trancado. E seu irmão, que é juiz Federal, trabalhou com Toffoli até 31 de maio deste ano. Era seu assessor! Que vergonha.
A Presidente Carmen Lúcia fica com seu ‘Olhar de Horizonte como se de nada soubesse ou tivesse que intervir... Logo depois de cometerem tais barbaridades, os ministros entraram em recesso... Trabalhar, pra que?
Nesta segunda (26) à noite, o Brasil dormiu embalado do desejo de ver a seleção passar pela Sérvia e ainda não acordou. E só vai acordar quando a Copa terminar para nós, no meio de julho, esperamos!
Tudo planejado, tudo dominado!
Logo após as eleições, o povo deve exigir uma Constituinte Exclusiva, já que a atual foi planejada pela escória, abrigando tudo que não presta. Por isso já tem mais de 200 emendas. E sempre as emendas são piores que o texto original.
Nesta quarta, um novo bate-boca o STF, envolvendo Gilmar Mendes e Luiz Fux foi visto pelos brasileiros que não se deixam embebedar pelo ópio do futebol. A indignação é geral. É um acusando o outro de mal-feitos, em sessões plenárias transmitidas pela TV Justiça. Trabalham pouco em favor da Justiça e Muito contra os interesses do país.
Vamos aguardar as eleições e votar em quem faça compromisso das Reformas: Política, do Judiciário e Tributária. Meu voto vai em quem prometer apenas isso! 

domingo, 24 de junho de 2018

RICARDO DE BENEDICTIS - CRÔNICA

ENTRE A VIDA E A MORTE
Ricardo De Benedictis
Sabemos quão ásperas e sutis, são nossas relações com estes dois fatores que norteiam o caminhar da humanidade, a depender das circunstâncias.
Os estudiosos da Ciência, debatem incontáveis teses, baseadas na trajetória histórica e na própria natureza prática de tais relações inter-seres, iniciando-se tais estudos pela ‘Lei da Sobrevivência’, passando por usura,  ganância, inveja, luxúria, pelo amor e pelo ódio e pela conquista ou pela manutenção do poder domínio do Homem sobre o seu semelhante.
Em tempos idos era comum que tribos maiores tomassem de assalto pequenas aglomerações, visando pilhar seus pertences, gêneros alimentícios, mão de obra escrava, poupando as mulheres as quais faziam de concubinas. Alguns líderes costumavam poupar crianças em tenra idade. Os guerreiros e os velhos eram chacinados sem piedade, evitando-se futuras vinganças e eventuais perdas de poder.
Se observarmos os dias atuais, podemos concluir que a humanidade não mudou tanto. O Homem criou Constituições, Leis, Tratados e Acordos Internacionais. Os poderes foram se formalizando, de acordo com fatores ideológicos e/ou por grau de civilidade e liberdade de pensamento. Entretanto, há muitos locais em que o ser humano, sequer, tem o direito de ‘pensar’, muito menos de expressar seu pensamento. Vejamos o que aconteceu na Rússia na semana passada (junho 2018), quando um cidadão inglês foi detido em Moscou, apenas porque protestava exibindo um ‘cartaz’ com frases alusivas à impossibilidade de manifestação da comunidade LGBT. As autoridades apontaram um decreto pelo qual o governo proibiu ‘manifestações públicas’ sobre o tema. Portanto, não estamos tão distantes assim, da idade da pedra!
Hoje existem inúmeras ‘organizações’ representativas dos governos que comandam, em tese, a vida no Planeta. Não vou citá-las, por crer desnecessário.
No setor Comercial, Político, de Direitos Humanos, de Crimes de Guerra, etc, etc. foram criados enormes ‘cabides de emprego’. Ali são designados a peso de ouro, centenas e centenas de representantes dos governos legalmente constituídos, com aprovação de tais organizações. E ainda existe um ‘Conselho de Segurança’, onde meia-dúzia de ‘potências’ podem determinar genocídios e uso de armas químicas, nucleares, ou seu desenvolvimento, em qualquer parte!
A Ciência evoluiu. O conhecimento se especializou. Em alguns poucos países, a renda diminuiu a desigualdade entre as pessoas. Na maioria, não. Estamos retroagindo à era jurássica. E a cada dia o jargão “Comida pouca, meu pirão primeiro” parece um objetivo. Infelizmente!

sábado, 16 de junho de 2018

NANDO DA COSTA LIMA - CRÔNICA

Maneca Grosso

Nando da Costa Lima

“Nós nascemos do mesmo signo, doutor, com a única diferença de eu ter nascido de nove meses de gestação e sua excelência ter nascido de dez…” Quando o professor e poeta Manoel Fernandes de Oliveira (Maneca Grosso) publicou este artigo no jornal “A Palavra”, chamando o adversário de “filho de uma égua”, o clima ficou ainda mais pesado entre os dois grupos políticos que lutavam pelo poder no início do século XX. (Meletes e Peduros). Os Meletes se defendiam e atacavam os Peduros através do jornal “O Conquistense”. O juiz Araújo, um intelectual erudito, ficou muito irritado com as palavras a ele dirigidas. Naquela Conquista de 1919, os muros ainda criavam limo devido à umidade das matas que circundavam a cidade, o comércio era movimentado pelos caixeiros-viajantes e a Filarmônica Vitória marcava presença em todo grande acontecimento. Uma pequena cidade escondida no sudoeste baiano, mas que aos olhos do poeta: “Não há no mundo, na Terra, igual a esta outra vista! Na falda d’aquela serra… Está engastada Conquista”.
Coronel Gugé tinha falecido recentemente e isto contribuiu para o fortalecimento da oposição. O último artigo de Maneca tirou os Meletes do sério, sua desenvoltura levava-o a ganhar todas as polêmicas levantadas. Com uma disputa verbal tão agressiva, o povo já contava com uma luta armada a qualquer momento. As discussões entre Meletes e Peduros a cada momento se agravavam mais, a cidade estava tensa, só se via homens armados, tinha jagunço de todo lugar! O clima de guerra preocupou até o Governo do Estado, que só veio tomar providências depois que os Meletes começaram a incentivar o povo a não pagar impostos, destacou uma tropa para prender Arruda, um chefe de jagunços, já com o intuito de mostrar que não estava gostando daquilo. O tenente responsável o enviou para a capital escoltado por vários soldados, mas os seus aliados não deixaram a operação ser completada, cercaram a tropa e libertaram Arruda, uma figura necessária para a ocasião, foi ele que usaram para emboscar o poeta Maneca Grosso e seu compadre. Quanto à tropa: ninguém sabe onde foi parar. Um amigo ufólogo e historiador acha que a única explicação é que eles foram abduzidos, com burro e tudo, perto de Boa Nova. Disso eu não tenho certeza.
Maneca gostava de ensinar, foi professor durante toda a sua existência, talvez a única maneira de conviver com poesia na época sem ser chamado de doido. Nos seus três últimos anos é que se viu envolvido numa disputa política que lhe custou a vida. Enquanto a arma usada era a caneta, ele venceu quase todas as batalhas, mas quando a caneta foi substituída pela “repetição papo amarelo”, o poeta não resistiu. Enquanto viajava daqui pra sua fazenda na Baixa do Arroz em companhia do Compadre Cirilo, foi emboscado perto do Simão, Cirilo morreu na hora, ele foi espancado não morrendo no local graças à interferência casual de um vaqueiro. Maneca era diabético e faleceu pouco tempo depois do ocorrido, não se sabe se o que o matou foi a agressão ou a depressão por ter sido agredido fisicamente apenas por falar o que sentia em relação à política da terra que tanto amou. Também não podemos canonizar o poeta. Ele, como todo cidadão comum, optou por um lado, esse tema é muito controverso.
A surra sofrida pelo poeta, foi o que levou Dino Correia, um ex-aluno do professor Maneca, a entrar na disputa política e decidir a situação através das armas em favor dos Peduros. Uma rusga que o tempo apagou a razão…, do poeta ficaram os versos inocentando Conquista, sua grande paixão – “Por ti Conquista, se sofri não nego! Nem te renego, como sabe Deus! És inocente, não me deste a morte… Mas fora sorte… Fora o fado… Adeus”.
A história de Vitória da Conquista é repleta de momentos pitorescos, nossos escritores e artistas voltados às artes cênicas deveriam levar aos palcos e às telas as centenas de fatos que aqui ocorreram. O incentivo das universidades e o apoio financeiro dos nossos empresários seriam fundamentais nessa empreitada. O povo que habita e passa por Vitória da Conquista precisa conhecer melhor sua bela história. Ela é sublime.
P.S. Essa história tem outras versões (eu escrevo ficção, não sou historiador).

sexta-feira, 15 de junho de 2018

RICARDO DE BENEDICTIS - CRÔNICA

FAÇA O QUE EU MANDO, NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO
Ricardo De Benedictis
O título desta crônica diz bem do atual momento em que vivemos no Brasil. A população totalmente desconectada de si mesma. Não pensa nem age bem. O que existe é uma parte nociva que usa as redes sociais para destilar veneno contra tudo e contra todos. Junta-se a isso, o fato da classe governante e de parte do Poder Judiciário trazer mais insegurança ao brasileiro.
Muita gente aplaude a greve dos caminhoneiros, mesmo que tenha havido o desabastecimento das famílias, pela irresponsabilidade dos líderes do movimento e pela infiltração de bandidos que destruíram vários caminhões, cujos motoristas não queriam aderir à greve e até mataram um pai de família de 70 anos com uma pedrada. Tem gente que acha isso normal. Infelizmente, não sabemos em que ou em quem nos apoiar.
Uma boa parte da galera vem pregando voto nulo, voto branco e abstenção, como solução. É sim, boa solução para manter os maus políticos no poder. Outra coisa. A Copa do Mundo da Rússia. Muita gente dizendo que ninguém deve assistir. Com um celular na mão e assistindo o jogo que lhe interessa. É disso que se trata. Que governo quer essa gente?
Todos sabemos que quanto menos votos válidos, mais vantagem para os políticos que têm mandato. Portanto, uma armadilha para manter o status quo. Não haverá a necessária renovação. E tem muita gente aplaudindo!
Os partidários da esquerda que mandou no país de 2003 a 2016 falam da tribuna da Câmara e do Senado como se eles nada tivessem com a quebradeira do Brasil. Francamente, quanta safadeza!
O governo Temer está nos estertores. Querem derrubá-lo. Prá que? Prá Rodrigo Maia ou Eunício assumirem, ou Carmen Lúcia! Ou outro deputado ou senador? Gente sem noção. Terminado o mandato, que Temer vá responder processos e se deve, que tenha o destino de Lula: A cadeia!
Aécio é candidato? Uma vergonha. Dilma é candidata? Que vergonha!!! São tantos os políticos safados que vou enumerá-los a todos pois a lista é muito longa. Os que estão processados não deveriam poder se candidatar. Imagine os já condenados! Imagine Lula, candidato e eleito para governar o Brasil de dentro da Cadeia. Assim como faz o PCC com a bandidagem!
Tem mais: Assista a Copa! Não vá na conversa desses débeis mentais de plantão e de outros ainda piores, que agem a serviço de causas menos nobres, parte deles, paga com dinheiro de propina. Vou assistir os jogos que achar interessantes. Agora mesmo torci em vão pelo Egito contra o Uruguai. No final o Uruguai venceu por 1 X 0, mas não convenceu. Espero que a Copa da Rússia seja de absoluto sucesso. O povo russo merece e a população mundial necessita de lazer para esquecer um pouco da violência que nos abate.
Por último, por falar em violência, esta semana foram assassinados a tiros dois garotos de 14 e 16 anos, na porta da escola, aqui em Conquista. Mais dois foram baleados e estão hospitalizados. Na Bahia, a violência está insustentável. Quem sabe, pior do que no Rio e em São Paulo. O governo é leniente com o crime. Drogas e mais drogas são apreendidas, mas ninguém sabe o destino que lhes é dado. Os crimes não são esclarecidos e os bandidos não são punidos. Nada podemos fazer, a não ser chorar os mortos e a desgraça das suas famílias, arrasadas pelo luto e pela insegurança. São dois, três, quatro assassinatos por dia em Conquista e os governos do estado e federal, nada dizem. A comunidade vai se habituando e a vida segue, para os vivos, enquanto uma bala não os vitima. Infelizmente, este é o quadro desolador do nosso país. Até quando, ninguém sabe!

sábado, 2 de junho de 2018

NANDO DA COSTA LIMA - CRÔNICA

Evite assombrações

Nando da Costa Lima
Assombração é óbvio que existe… Mas só aparece pra gente que não bebe. Caso de assombração ocorrido com biriteiro não vale, é delírio!
Honório tava travado, vinha do buteco atalhando frango, tinha brigado com a patroa justamente por causa da cachaça. Tava demais! Pra não passar pelo matagal do açudão, resolveu pegar um atalho por um caminho que passava pelo quintal da viúva do capitão João Antônio. Foi ali que uma assombração atravessou o seu caminho, até hoje jura por qualquer coisa que foi verdade. Ele estava com muita pressa, mas a livusia não deixou ele dar mais um passo. Ficou paralisado, parecia que tava hipnotizado… Mesmo assim, a pinga ativou o garanhão etílico. Quando viu aquela mulherona alta, a força da cachaça ajudou a fantasiar um caso sobrenatural com aquela assombração sensual. Deu pra ele sentir que ela tava querendo… Parecia uma noiva flutuando na escuridão da caatinga à procura de um homem de verdade pra consumar o casamento. Não dava pra resistir! Depois de um litro e meio de pinga ruim misturado com qualquer coisa, até assombração fica sexy… Honório segurou a noivona pela cintura e mandou ver, só que a baixa qualidade da bebida consumida atrapalhou seu desempenhou sexual: só conseguiu dar meia, nem dá pra dizer que aquilo foi “uma”. O esforço curou a cachaça, o medo encostou e ele deu uma carreira que só parou em casa. Tava amarelo e suando frio. Arrasado! Se tivesse seguido o conselho de Sinval e bebido só a legítima Jurubeba Leão do Norte, ele agora estaria bem com o povo da cidade, nada disso teria acontecido. Mas é assim mesmo, quem não ouve conselho, escuta coitado. E ele acabou desacreditado, virou motivo de piada. Todo mundo ficou sabendo da história e todos falavam a mesma coisa: “Tá doido, é mentiroso e tá delirando de pinga”. Mas só falavam! Ninguém nunca tinha chegado a agredir Honório por causa desse acontecimento… Só a viúva do capitão João Antônio que não gostou nem um pouco desse caso, ficou tão retada que deu uma surra de panela de pressão no compadre. Segundo a viúva Esmeraldina, a assombração que aquele safado traçou foi seu vestido de noiva que estava pendurado no varal pra tirar o cheiro de mofo. Ela ficou tão nervosa que nem levou em conta o estado de embriaguez do compadre. Contou pra todo mundo que ele tinha profanado uma relíquia de família que casou várias gerações, além de desrespeitar o finado compadre.
Ficou mal com a população: pinguço, doido e estuprador de vestido de noiva. É no que dá ficar bebendo qualquer fubuia com rótulo, até assombração aparece! Teve que mudar de cidade… Era só atravessar uma rua que alguém falava: “Lá vai o tarado que come até assombração”.