imagem de capa da página

PESQUISAR NESTE BLOG

sábado, 20 de abril de 2019

NANDO DA COSTA LIMA - CONTO

TÁ LASCADO!
Nando da Costa Lima
         O ambiente era o retrato da pindaíba: quando você vê estrelas pelo telhado é porque o barraco já tá pra desabar. A não ser que você seja compositor de samba e ache que é gostoso dormir olhando para o céu. No morro de compositor não chove e barracão vira bangalô. Mas na casa de Jorge Alicate o trem tava feio mesmo, não só dava pra ver as estrelas como os carros que passavam na rua pelas rachaduras na parede. Mesmo assim, ele e Nelza estavam alegres. Chegou um compadre que eles não viam há tempos. Era primo de Nelza e amiguíssimo de Jorge, e ainda trouxe um litro de pinga pra adoçar a conversa. Continuaram compadres mesmo com o afilhado tendo morrido num assalto: a vítima reagiu e o revólver dele era de brinquedo, o dono da loja descarregou um 38 nele. Mas não foi por isso que os amigos deixaram de se tratar como “cumpades”. O cumpade Nô Bicudo morava longe, era só de vez em quando que ele aparecia. O casal ficou tão feliz que esqueceu até do miserê que vivia. Nô Bicudo, além do litro de pinga, trouxe um frango assado, farofa e meia dúzia de maçãs para a comadre. A conversa ficou animada, lembraram da infância, da juventude.... Estavam dando risadas à tôa, sorriam até da pindaíba que sempre os perseguiu. Nô gostava de conversar e tinha uma opinião formada pra tudo, principalmente quando se tratava da pobreza vigente. Para ele, isso só acontecia com gente ruim. Nelza tentou consertar:
— Mas cumpade, e nós?
— Nós somos ricos das graças de Deus. Eu tô falando dos que não têm nem um teto pra descansar embaixo. A gente pelo menos ainda tem uma televisão, um rádio, uma geladeira… Não podemos queixar de nada. Hoje mesmo é terça-feira e nós estamos aqui comendo galinha assada e tomando pinga. Tem coisa melhor? Pior é Cabral que ficou rico mas não vai poder gastar?
— É, mas dizem que mesmo na cadeia, rico dá um jeito de comer caviar. Você já comeu caviar, cumpade?
— Eu não. Lucrécia, que só trabalha em casa de rico, disse que tem mesmo cheiro de roupa suja. Nem quis provar.
— Mas mudando de assunto, o cumpade parece que tá por cima da nota, trouxe até galeto.
— Quê que é isso, Jorge. Esse frango o dono do bar me deu porque já tinha quase uma semana que ele tava girando na churrasqueira, era pequeno demais. Eu só fiz dar uma limpadinha. Bastou soprar que os morotós sumiram tudo. As garrafas de pinga eu peguei num despacho.
— Isso que é um cumpade, lembra dos amigos pra dividir o pão. A amizade é melhor do que qualquer fortuna. Só pra você ter uma ideia, se um amigo chegar na casa de um rico com uma galinha assada, ele vai achar que tá envenenada e que o sacana do amigo tá querendo matar o amigo pra casar com a viúva. Com a gente não tem dessas coisas… é melhor que a vida de muito rico.
— É, cumpade. Mas a verdade tem que ser dita, tem muito rico que sabe viver. Compra casa em todo lugar que gosta, só namora com artista… Isso sem falar que rico não precisa gastar. Se for famoso então, os puxa-saco não deixam eles pagarem nada. devia ser o contrário.
— Cala essa boca, cumpade. Tá querendo ser chamado de comunista?
— Quem vê você falando vai pensar que comunista não fica rico.
— Fica rico, mas divide, cumpade.
— Você já viu isso acontecer?
— Eu não, só tô falando o que escutei. Mas quem falou foi um dotô.
— Aposto como esse dotô não conseguiu ficar rico como médico.
— Ué, tá adivinhando agora? Como é que você sabe que o médico de que falei tá fudido?
— Mas isso tá na cara. Todo profissional liberal que chega nos cinquenta anos e não consegue ficar rico vira comunista.
— É, vamos deixar essa conversa sobre comunista pra lá, o que importa é que estamos vivos. Pior foi aquele menino, eu fiquei dois dias sem dormir. Tá doido, vai ser azarado assim nos “inferno”. Eu soube que você e a cumade fizeram até promessa pra padim Cícero proteger o menino. Por isso fiz questão de vir aqui, a atitude de vocês me deixou comovido. Vou comprar até mais um litro, vocês merecem. O bichinho tá sofrendo já faz tempo, se eu pudesse dava uma perna pra ele…
— Ué, cumpade. Mas por que a perna toda? O bichinho só operou o dedinho do pé.
— Eu sei que só foi o dedinho, mas pra um menino bom daquele eu dou até a vida, quanto mais uma perna. Coitado de Neymar Júnior, tá lascado… e nois aqui tranquilo, comendo frango assado e bebendo pinga. Dá vontade de chorar, tadinho do bichinho!

Nenhum comentário: